quinta-feira, 10 de abril de 2008

Melancolia palpável


E mais um dia está quase no fim!
E como foi mesmo que ele começou?
Ao que se lembra, com uma pessoa que não queria abrir os olhos, ou pelo menos não acreditava ter forças pra fazê-lo.
E essa pessoa levanta descabelada, com mal hálito, olhos remelados...
E se olha no espelho pra dizer a si mesma que o dia vai passar se arrastando e em cada segundo as cobranças vão lhe pesar mais.
Toma-se um banho, ingere-se algo que se prepara rápido e olha-se no espelho novamente. Repara-se uma corcunda consequente do peso de um fardo pesado. Acredita-se que o choro alivia a dor, ou pelo menos "amansa" certas revoltas, e onde estão as lágrimas nesse momento?
Chega a hora de partir e se vai...COm a melancolia que fica, e toca, e incomoda...

4 comentários:

Gustavo :: ovatsuG disse...

É nossa triste sina. Infelizmente não temos liberdade. Mas, sabe, acho que isso é bom. Se a vida fosse toda perfeitinha não teria graça. Tudo bem que a gente precisa se sentir feliz quando em vez, mas seria mais chato ainda do que é se fôssemos todos felizes o tempo todo. Acho que os momentos de alegria servem para amenizar e fazer-nos rir de nossas desgraças.
Enfim, acho que se você acorda descabelada, com mau-hálito, olhos remelados é sinal de que você está viva! Então, viva!

Ana Paula disse...

Até quando nossos olhos serão cegos pra luz do fim do túnel?Até quando vamos olhar pra direção errada?Quem nos vai ensinar a direção certa a seguir?Sei lá,mas continuo procurando...

Hipacia disse...

Olá... tudo bem? Será mesmo bom refletir... me pergunto. Até mais!

Larissa Bury disse...

Amei seu texto, trabalhou muito bem com as palavras...
Pode-se facilmente visualizar cada cena citada! Parabéns...